Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Punk | Oi! | Hardcore

05
Mai20

"Das Ruas Para As Ruas" #10

por Flávio Gonçalves

Tinha começado o dia a pensar fazer uma entrada sobre o primeiro single dos Horda, mas afinal o meu mui estimado camarada Pedro Bica acabou de publicar aquele que é já o 10º número da única fanzine nacional dedicada ao submundo skinhead do punk rock: Das Ruas Para As Ruas. Inicialmente publicada em língua portuguesa, actualmente a zine sai apenas em língua inglesa que é, verdade seja dita, o novo esperanto. Podem encomendar a mesma carregando aqui. Este número inclui entrevista aos lisboetas Horda e aos brasileiros Sindicato Oi!, o meu exemplar costuma estar reservado por default.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:35

04
Mai20

Era uma vez em 1986

por Flávio Gonçalves

Em 1986 os Mata-Ratos gravaram o épico hino Vozes da Raiva, faixa que seria mais tarde recuperada e utilizada nas compilações da Drunk Records que em 1994 lançaria o split com o mesmo nome, incluindo as bandas Garotos Podres e Pé De Cabra além dos Mata-Ratos. Os Mata-Ratos foram a minha porta de entrada para o submundo do punk, Oi! e hardcore nos anos 90, embora eu estivesse mais imiscuído no submundo do grunge, black metal e do death metal a verdade é que nas últimas duas décadas tenho ouvido quase exclusivamente punk rock.

Em 2018, notando que havia uma revitalização no que dizia respeito à sonoridade punk e Oi! tanto em Portugal como no Brasil, convenci o director da edição portuguesa do Pravda.ru a lançar uma rúbrica com este mesmo nome, Vozes da Raiva, na qual eu entrevistaria todos os meses uma ou duas bandas lusófonas e em 2019 ou 2020 essas entrevistas seriam publicadas numa antologia de modo independente, ou seja totalmente Do It Yourself. A primeira entrevista foi ao Mao dos Garotos Podres e pode ser consultada aqui.

Infelizmente em algumas conversas de café com alguns amigos que já estavam na cena punk antes de mim não se chegou a consenso se eu estaria a agir bem ao utilizar num projecto jornalístico e editorial a 'marca' Vozes da Raiva, tal podia ser entendido como mero aproveitamento comercial ou, pior, uma vez que tencionava entrevistar bandas que se assumem como anarquistas, socialistas e comunistas, deturpar as compilações originais que eram marcadamente apolíticas.

Quem me conhece pessoalmente já sabe que tenho algum problema em focar-me nas coisas se não estiverem minimamente delineadas e que por norma estou envolvido em meia dúzia de coisas em paralelo, pelo que me deixei desanimar por essa dúvida e embora já tivesse agendado entrevistas com uma dezena de bandas, a única entrevista a concretizar-se foi a com Garotos Podres. Agora, graças ao confinamento e mais algumas conversas via chat optei por criar meramente um blogue pessoal para publicar o que bem me apetecer sobre a música que, hoje precisamente no meu 41º aniversário, ainda me faz vibrar.

Vou aproveitar a minha colaboração na edição portuguesa do Pravda.ru para dar a conhecer e entrevistar as bandas que, passados dois anos, ainda tenham interesse nisso e a ideia de publicar um livro será algo a pensar só depois de realmente já existirem textos e entrevistas, altura na qual tratarei de saber se por parte dos Mata-Ratos e dos ex-proprietários da Drunk Records haverá algum problema em utilizarmos o nome. Deixemos esse problema para quando realmente se colocar, de momento não passo de um mero entusiasta punk, que o vivenciou na primeira pessoa nas ruas de Lisboa há quase duas décadas, e que quer dar a conhecer ao mundo de língua portuguesa as bandas que lhe agradam.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:47


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D